27 fevereiro 2012

#36 Krusty's Fun House

KrustysFunHouse-capa 
Krusty's Fun House (Flying Edge, 1992). Talvez um dos únicos jogos da família Simpsons em que o protagonista (como o nome entrega) é o palhaço Krusty. As primeiras imagens podem remeter a um jogo Plataforma e sem grandes novidades, mas eis que bela surpresa: um Puzzle!

Pois é, as coisas iam bem até que ratos começaram a infestar a Casa Maluca de Krusty. Com a ajuda de Bart e outros personagens do desenho nos comandos de estranhas armadilhas, o palhaço Krusty irá conduzir os ratos até essas máquinas. As fases possuem salas a serem visitadas em ordem não definida. Cada sala possui ratos a serem capturados, diversos itens e uma armadilha. Após a conclusão das fases, uma password é ganha. Apesar de simples em sua concepção, o jogo garante bons momentos e alguma dor de cabeça. Com o avançar do desafio, certos caminhos serão desvendados somente com algumas voltas nas salas para descobrir como guiar corretamente os ratos até Bart e Cia.
 
Krusty's Fun House_017Para realizar esse feito, blocos serão utilizados para encaminhar os ratos até determinadas áreas. O mais comum, o bloco azul, servirá de degrau tanto para Krusty, como para levar os roedores às armadilhas; peças do encanamento que sugam os ratos e o bloco amarelo (que somente pode ser chutado) funcionarão de maneira semelhante aos blocos azuis. Para pegar/deixar um bloco (o azul e o cano) basta acionar BAIXO quando o palhaço estiver posicionado sobre. Os demais blocos não coletáveis serão quebrados por meio do botão de ataque junto a esses e possuem itens para bonificação (aumento do escore), vidas e as duas munições – a massa (9 tiros) e a bola (5). Ambas servem para matar cobras gigantes, aliens e outros inimigos sendo que a bola também quebra passagens bloqueadas.
 
Conduzidos e aniquilados os ratos (sempre em número de 4) é necessário o encontro de todos os itens dentro dos blocos cinzas. Depois, basta se encaminhar até a porta com Krusty. Com um aceno de mão e uma risada digitalizada, deixa-se a sala. Um cadeado simboliza a sala completada. Ou seja, saindo da fase sem o cadeado na porta significa nova exploração.
 
Boas sacadas do game: a inexistência de marcador de tempo – atrapalharia muito se houvesse; o personagem não morre facilmente mesmo quando se esbarra com uma cobra ou os pingos que caem do teto; e, a possibilidade de desistir ou recomeçar uma sala a qualquer instante através do pause na ação seguido do botão de PULO. Cada desistência é uma vida a menos e existem apenas três inicialmente.
 
Krusty's Fun House_015-tile

Graficamente bem feito com música (muito) repetitiva, mas dentro do clima. Jogabilidade boa e um desafio para entreter o jogador e curtir um pouquinho dos Simpsons no console. Eu Recomendo!

14 comentários:

  1. Depois de jogar The Simpsons: Bart vs. the World, eu fiquei com total medo de experimentar qualquer outro jogo de Simpsons pro Master, mas esse parece bem divertido. Vou dar uma chance.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Particularmente eu acho o game muito interessante. Mas não se engane com o apelo infantil: os puzzles são mais complexos com o avançar e algumas salas são bem irritantes. Vale a jogada!

      Excluir
  2. Nunca consegui terminar, apesar de gostar muito do jogo.

    A música realmente é bem repetitiva, geralmente jogo ouvindo outras músicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já cheguei a jogar ouvindo podcast pq chega a ser irritante caso o jogador fique "travado" em algum lugar.

      Excluir
  3. Boa Marcel! Cara, eu também fiquei surpreso positivamente quando aluguei a primeira vez e descobri que era um puzzle. Gosto demais desse game e agora, depois de ler seu ótimo texto, não só fiquei com vontade de jogar, como fiquei louco pra adquirir ele pra minha (recente) coleção! Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taí um jogo interessante para ter em casa.

      Excluir
  4. Nunca joguei a versão de Master System, mas joguei bastante a de Mega Drive. Eu sempre gostei desse jogo! Mas hj em dia não me recordo tão bem dele.
    A versão de Master é tão legal quanto à de Mega? Muda muita coisa? Ou o diferencial tá mais em gráficos e som?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Gamer, blz? Cara eu conheço a versão do Mega apenas por YouTube, não sou a pessoa mais indicada para te dizer. Mas assim que puder dou uma conferida e te respondo por aqui mesmo.

      Excluir
  5. Lembro que quando esse jogo saiu eu fiquei meio decepcionado, porque esperava um jogo tipo o Bart vs Space Mutants (amado por uns, odiado por outros, como mostram os comentários, rs). Alguns amigos também ficaram chateados, mas quando joguei (muuuuuuitos anos depois, já era retrogaming) adorei, achei sensacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer jogo da família Simpsons da geração 8 ou 16 bits tem essa fama mesmo. Pensei a mesma coisa a primeira vez que vi a capa desse game.

      Excluir
  6. olha, essa matéria me deu vontade de dar uma conferida no jogo. adoro os Simpson e curto o Krusty. está na hora de zerar pelo menos um game da família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aconselho muito Leandro. Aproveita e joga a do Mega e comenta aqui pra gente.. ^^ Hehe

      Excluir
  7. Jogo genial. Começa fácil, mas chega um ponto que o negócio complica muito. São 60 portas!!!!! Sofri pra zerar, kkkkkkk, mas vale a pena. É fantástico! (Joguei no Mega Drive)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caraca! 60 portas! Não sei se hoje eu teria gás pra zerar um game desses mas valeu pela informação.

      Um abraço!

      Excluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.