22 maio 2012

Dynamite Dux [Cáp 1]


Olá pessoal!

Acompanhe o Na Praia4 na Saga de Dynamite Dux que começa hoje.


Intro
Feitas as devidas apresentações na resenha do começo do mês, é hora de encarar os desafios desse jogo com o pato metido a lutador de kung fu mais briguento do console.


Apertando Start conhecemos a história do jogo. No melhor estilo salve a princesa, vamos buscar nossa amiga Lucy que foi raptada por Achaca (e que parece um dinossauro nessas primeiras imagens que o jogo nos apresenta...)

Fase 1

E lá vamos nós! O começo do jogo é meio devagar e aos poucos somos apresentados ao inusitado exército de Achacha (que o mago tinha uma imaginação danada para criar criaturas bizarras, isso ninguém pode negar). Basicamente na primeira fase é: andar por avenidas e ruas bacanas e distribuir sopapos em todo ser estranho que se mexer e ameaçadoramente vier em nossa direção.

Nesse meio tempo é bom não marcar bobeira e coletar todas as armas e lanches que aparecem no caminho. O primeiro subchefe é a chama e acertando-a da posição indicada fica fácil apagá-la.


Após isso, seguimos à direita e o caminho acima está bloqueado, obrigando-nos a descer as escadas. Algumas vezes é possível utilizar o caminho superior, mas exatamente porque isso acontece ainda não descobri (quem quiser comentar, sinta-se a vontade).

Descendo e subindo escadas vermelhas e enfrentando alguns jacarés da mesma cor, somos apresentados ao desafio final dessa fase, o chefe pedregulho. Esse não chega a complicar, mas é preciso ter consciência que a perda de energia é inevitável. A tática é pular as pedras menores e desferir ataques na pedra central – vai ser menos trabalhoso que esmigalhar uma por uma. Depois disso abre-se e a porta e já estamos voando para a fase 2...


Fase 2
Aqui chegamos num ambiente mais árido com terra batida no lugar de asfalto. Logo de cara um bomba (item) quebra um galho enorme para os inimigos estrábicos (começo a desconfiar que o mago Achacha compartilha do mesmo problema de visão ¬¬) e já somos apresentados ao subchefe: o pedregulho liso (nome melhor não me veio à cabeça).

Esse complica um pouco mais. Acertar a pedra principal (a única que tem um par de olhos, raridade, não estrábicos) custa alguma energia, pois as demais se movimentam em várias direções e um slowdown que incomoda muito vai atrapalhar o jogador até que duas ou mais pedras secundárias sejam destruídas.



Derrotado o subchefe prosseguimos e encontramos aquela que talvez seja uma das melhores armas do jogo: a bazuca de bolas perseguidoras (se alguém tiver sugestão de um nome melhor, sinta-se à vontade para comentar). Com esse tiro enfrentar dois ou mais adversários na tela é moleza. Pena que o mesmo não pode ser dito para os chefes – aí a arma se torna inútil ao extremo!

Falando em chefe o dessa fase vem carregado – literalmente. Uma nuvem, ao estilo dos pedregulhos, rodeada por outras menores desfere raios e gira perigosamente em nossa direção. Mas nosso herói azulado não se intimida e alguns socos bem dados resolvem a parada sem maiores sustos – sempre objetivando a nuvem principal.


Semana que vem continua nossa Saga de Dynamite Dux

Até lá!

2 comentários:

  1. Os inimigos desse jogo são todos bizarros ao extremo, acho que só perdem mesmo pros inimigos do Alex Kidd in the Lost Stars uaehueaheauhae!!

    Gosto das músicas desse game, uma melhor que a outra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Impossível.Os inimigos de Alex Kidd in the Lost Stars são os mais bizarros do mundo... hauhaua

      Excluir